Como publicar um artigo científico?

Se você faz parte do mundo acadêmico, seja na graduação ou na pós-graduação, sabe da pressão que existe para que você PUBLIQUE sua pesquisa! Isso não apenas para ter mais “pontos” no currículo Lattes, mas também para ser lido, citado, divulgado e para fazer sua pesquisa progredir.

Porém, a grande questão que atormenta os jovens pesquisadores é COMO fazer isso. Como publicar? Quando? Por quê? Para quê? Sobre o quê? Onde?

Nesse texto, vamos te dar 3 DICAS fundamentais para você começar a publicar mais artigos científicos.

A primeira delas é essencial para você superar a linha tênue que separa as pessoas que publicam daquelas que não publicam:

NÃO TENHA MEDO!

Não tenha medo de ter seu artigo recusado, não tenha medo de não ter resultados suficientes para publicar, não tenha medo do seu(sua) orientador(a), não tenha medo de “perder” o texto que você usaria na dissertação ou na tese… enfim, não há o que temer!

TODAS as pessoas que fazem pesquisa já tiveram algum artigo recusado! Isso é praticamente inevitável, visto que há diversos fatores envolvidos na avaliação dos artigos, que vão dos mais básicos (como prazo e tema), aos mais complexos (como relevância da pesquisa). Porém, se você estiver alinhado com esses critérios, suas chances de ter um artigo aprovado aumentam bastante! Além disso, só você recebe o parecer final da avaliação do seu artigo, logo, ninguém saberá o resultado.

Não tenha medo do seu(sua) orientador(a), pois ele também já passou por isso e sabe como você se sente. Por isso, procure manter um diálogo aberto com essa pessoa e fale sobre o seu desejo de publicar e sobre o andamento da sua pesquisa.

A segunda dica para você publicar um artigo científico é fundamental para amenizar sua chance de ter seu artigo reprovado:

ESCOLHA UMA REVISTA

Você pode escolher uma revista pelo portal de periódicos da CAPES, pelo Google, pelos artigos que você já leu, por indicação de algum pesquisador, enfim… há diversas maneiras de se fazer isso. O importante é verificar se a revista tem fluxo contínuo, ou seja, recebe artigos constantemente, ou se tem uma chamada para publicação, com prazo e temática definidos.

Depois de escolher a revista, você precisa verificar as diretrizes para autores, que são as normas de publicação da revista. Essas normas incluem regras de formatação, critérios de avaliação e a forma como você deve enviar seu texto para avaliação (sem identificação, em Word, com as figuras separadas, no padrão ABNT, no padrão APA…). É preciso ler (e respeitar!) atentamente essas diretrizes para que seu artigo entre no processo de avaliação.

Quase todas as revistas estão alocadas na mesma plataforma, a SEER, e essas diretrizes podem ser encontradas no menu SOBRE. 😉

Por fim, a terceira e última dica diz respeito ao conteúdo do seu artigo científico.

RECORTE SUA PESQUISA

Não importa em qual etapa da sua pesquisa você está, há sempre algo que pode ser publicado naquele momento! Para isso, você precisa escolher uma parte do seu trabalho (fazer o recorte) que tenha resultados e apresentá-la no formato de artigo científico. Isso significa que você vai precisar elaborar esse texto de acordo com as diretrizes da revista que você já escolheu.

Recortar a pesquisa não significa copiar e colar um capítulo do trabalho numa folha e enviar para avaliação. O que você precisa fazer é baixar o template (roteiro) da revista e ir preenchendo as seções de acordo com o seu trabalho. Isso implica um processo de reescrita, de reelaboração que vai ser fundamental para o desenvolvimento da sua pesquisa.

Publicar um artigo científico enquanto sua pesquisa está sendo realizada é uma via de mão dupla: ao mesmo tempo em que você vai desenvolver um pouco mais sua pesquisa ao elaborar o artigo, a avaliação dele vai trazer contribuições significativas para sua pesquisa!

Esperamos que essas dicas tenham te ajudado! Se ainda ficou alguma dúvida, deixe aqui seu comentário.

Fernanda Massi é Pós-doutora em Linguística Aplicada pela UNICAMP, Doutora e Mestra em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP/Araraquara e coordenadora da equipe de revisão e normatização da e-ditora Letraria. Fez iniciação científica, mestrado e doutorado com bolsa FAPESP e pós-doutorado com bolsa CAPES. Trabalhou como professora substituta em duas universidades públicas e foi orientadora de TCC e de iniciação científica. Trabalhou com a avaliação de artigos científicos em diversas revistas, além da avaliação de trabalhos acadêmicos em eventos científicos. 

1 Comentário. Deixe novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Trechos e Textos: qual é a música?
Como a sua pesquisa pode se transformar em um artigo científico?
Menu