Tabela ou quadro?

Neste texto, vamos te explicar as diferenças e as semelhanças entre tabela e quadro segundo as normas da ABNT. Essa regra vale para qualquer tipo de trabalho acadêmico: projeto de pesquisa, artigo científico, TCC, dissertação de mestrado, tese de doutorado…

Basicamente, existem duas diferenças principais entre tabela e quadro: uma relacionada ao conteúdo e outra relacionada à forma.

DIFERENÇAS

No que diz respeito ao conteúdo, a tabela trabalha com dados quantitativos (números, valores, porcentagens, estatísticas) e o quadro traz dados qualitativos (ideias, informações, resumos, títulos).

Isso não significa que se você usar números, obrigatoriamente, estará fazendo uma tabela. É preciso avaliar a abordagem que está sendo trazida. Vejamos um exemplo a seguir.

Para listar os gêneros textuais trabalhados em sala de aula a cada ano, é possível fazer um quadro, pois o foco são os gêneros (dados qualitativos) e os números não representam quantidades, ou seja, não são dados quantitativos.

Se nesse mesmo exemplo acrescentarmos uma coluna para indicar a quantidade de livros lidos de cada gênero, passamos a ter uma tabela, pois o foco da abordagem agora é quantitativo.

Em relação à forma, a diferença entre o quadro e a tabela pode ser visualizada nos exemplos acima: o quadro tem todas as bordas fechadas e a tabela tem as laterais abertas. No Word, você acessa esse recurso em “Design” > “Bordas”.

SEMELHANÇAS

Uma característica comum ao quadro e à tabela é a necessidade de uma legenda, composta pelo número do quadro ou da tabela e por seu título (como nos exemplos acima: Quadro 1 – Gêneros textuais em sala de aula e Tabela 1 – Livros lidos por gênero). Além disso, é preciso inserir a fonte de onde esse quadro ou essa tabela foram retirados. Quando o quadro ou a tabela forem retirados de outro trabalho, a fonte é inserida como uma citação: autor, ano e página (veja outro post sobre citação aqui).

Agora, se você tiver adaptado a tabela de outro trabalho, deve inserir a expressão “Adaptado de”, seguida do(a) autor(a) da obra e do ano de publicação (como no exemplo da Tabela 1 acima). Se você for o(a) autor(a) do quadro ou da tabela, basta escrever “Elaboração própria” (como no exemplo do Quadro 1 acima).

Lembre-se: tanto na tabela quanto no quadro, a proposta é fazer uma comparação, um confronto entre as informações, por isso, não faz sentido quebrar a tabela ou o quadro em mais de uma página.

LISTAS

Outra necessidade em trabalhos acadêmicos mais complexos (TCC, dissertação e tese) é a lista de quadros e a lista de tabelas, que devem ser inseridas no início do trabalho, antes do sumário, contendo: número da tabela e do quadro, título e página onde eles aparecem. Por exemplo:

Enfim, embora seja simples fazer tabelas e quadros, essa tarefa é trabalhosa, pois há vários detalhes. Portanto, pense bem se os dados que você está inserindo em um quadro ou tabela têm mesmo a necessidade de aparecerem dessa forma… evite fazer um texto na vertical, um texto tabeludo ou um texto enquadrado… 😉

Fernanda Massi é Pós-doutora em Linguística Aplicada pela UNICAMP, Doutora e Mestra em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP/Araraquara e coordenadora da equipe de revisão e normatização da e-ditora Letraria.

Deixe suas dúvidas nos comentários!

2 Comentários. Deixe novo

  • Lorena Laura de Araújo
    15/09/2020 20:30

    A pouco tempo descobri que existia a diferença entre tabela e quadro, pois até então achava que se tratava da mesma coisa, e achei super interessante essa diferença pois ajuda a quem está lendo a qualquer tipo de trabalho acadêmico a indentificar se está se tratando de uma pesquisa quantitativa ou qualitativa e entender melhor o resultado da pesquisa também. Mais como a maioria das pessoas não sabem a diferença seria de grande valia implementar esse tipo de conhecimento nas escolas e não somente quando se já está no ensino superior, porque esse tipo de informação ajudaria até mesmo quando fosse fazer provas do vestibular.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

ABNT x fake news: qual é a relação?
Epidemia ou pandemia?
Menu