Adílio Junior de Souza

Primeira publicação na Letraria: 2020

O que você gostaria que as pessoas soubessem sobre você enquanto autor?

Desde o ensino fundamental e médio sempre tive o hábito de ler obras literárias. Lia obras variadas, desde romances, tais como os de Machado de Assis e José de Alencar até contos de terror de Edgar Allan Poe. Durante a graduação em Letras pela URCA, mantive esse hábito e comecei a escrever algumas poesias e, também, pensei em produzir meu próprio livro de contos. Ao final da graduação, tinha muitos escritos ainda não publicados, mas aos poucos fui publicando um a um. Hoje ainda mantenho o gosto pela leitura (e sem dúvida isso nunca vai acabar) e escrevo todos os dias.

E sobre as suas obras publicadas?

Publiquei, entre outras obras, quatro coletâneas de poemas, Vidas Cruzadas & Vidros Quebrados (Ideia, 2019), Eros (Ideia, 2018), Tela de sangue e outras estórias (CRV, 2018), Cartas de um demônio (Appris, 2020) e, mais recentemente, Uma noite no Halloween e outros contos (Letraria, 2021), além de várias outras obras acadêmicas. Sou contista e autor de poesias.

Para você, ser autor é:

Ser autor é ter a oportunidade de criar mundos, tal como Tolkien, é poder contar estórias aterrorizantes, assim como Allan Poe, é produzir fantasias impressionantes, como fez Bram Stoker, é também poder construir narrativas que esmiúçam a vida humana como bem realizou Machado de Assis.

Caso queira, deixe uma mensagem sobre a sua experiência com a Letraria:

A Letraria, para mim, está entre as melhores editoras do mercado, tanto pela qualidade dos livros produzidos (os e-books são confeccionados no capricho; os livros impressos têm qualidade inquestionável, pelo acabamento, tipo de folha, impressão e especialmente, pelo cuidado com a revisão textual e de ABNT das obras) quanto também pelo atendimento de excelência (toda a comunicação se dá por e-mail, tudo com rapidez e agilidade). Pretendo, em outra oportunidade, utilizar os mesmos serviços, com certeza.

Publicações do autor:

Estudos clássicos: desdobramentos

A lingua portugueza é filha da latina, ou refutação da memoria em que o senhor patriarcha eleito d. Francisco de s. Luiz nega esta filiação

Memoria em que se pretende mostrar, que a lingua portugueza não he filha da latina, nem esta foi em tempo algum a lingua vulgar dos lusitanos

Estudos clássicos e filológicos

Menu