Compartilhe 💡

Amazônia em chama

Autoria:
Viviane de Oliveira Angelino
Marlon Jorge Silva de Azevedo

Organização:
Kelly Priscilla Lóddo Cezar (UFPR)
João Carlos Gomes (UNIR)

A poesia “Amazônia em chama” foi escrita pelo surdo Marlon Jorge Silva de Azevedo e adaptado para quadrinhos pela ilustradora surda Viviane de Oliveira Angelino. Ambos são surdos como eu, somos pertencentes à comunidade surda que utiliza a língua brasileira de sinais (Libras) e lutamos para que o Brasil venha a ser bilíngue/plurilíngue na prática. Este material retrata a história de um índio surdo que está frustrado com o descaso dos homens com o desmatamento e o risco de extinção que as florestas, especialmente a Amazônia, vem sofrendo. As “chamas” representam a destruição que as pessoas estão executando. Dessa forma, não só se perde a natureza, mas também as comunidades que habitam nela. Poucos sabem que nas comunidades indígenas, além das línguas indígenas orais, temos culturas, comunidades e línguas indígenas de sinais, como a língua terena de sinais e a Paiter Surui de sinais, entre tantas outras que ainda estão em estudo e outras que talvez nunca saibamos de sua existência. É relevante mostrar para a sociedade, principalmente às crianças, a consciência de cuidar e preservar a natureza, para também manter nossas heranças culturais e de línguas. Cuidar da nossa Amazônia também é cuidar do nosso futuro para cultivarmos gerações mais humanas, saudáveis e conscientes. A luta nunca para!
(Danilo da Silva Knapik)

Nossa dica para você 😉

Para visualizar melhor os recursos do e-book, utilize o aplicativo Adobe Acrobat Reader

Conheça outros e-books da área de Libras

Amazônia em chama

Séno Mókere Káxe Koixómuneti. Sol: a Pajé surda

Surdolimpíadas – encontros linguísticos

A mulher surda na Segunda Guerra Mundial